Brilhante, simplesmente brilhante!

Que bonito é ver jogar o Porto!
Deslocação muito difícil à Turquia, a um dos campos mais 'infernais' no que toca aos adeptos.
Quaresma e Guti eam incertezas do lado turco. Já Villas Boas apostou em Cristian Rodríguez para render Varela e Maicon foi titular, substituindo o argentino Otamendi.
Falcao voou por duas vezes, para rubro dos adeptos azuis e brancos, e por duas vezes a bola entrou mas... Um erro da arbitragem não nos permitiu chegar ao 2-0.
Pouco antes do intervalo Maicon é expulso, deixando-nos com apenas 10 jogadores para a segunda parte.
Aquilo que parecia ser um problema foi facilmente resolvido e mesmo com 10 (e a dada altura com 9) aumentámos a vantagem, através de Hulk, que bisou.
No final ainda houve tempo para a equipa turca reduzir. 1-3 era o resultado final, e somamos já 9 pontos, mais 3 que o segundo classificado.
Ficou mais uma vez provado que temos equipa e treinador!

Destaque para os adeptos do Besiktas, que no final aplaudiram Hulk, fazendo lembrar o aplauso a Quaresma, há uns anos atrás.

6 comentários:

r.m.silva da costa disse...

Um jogo em tudo excelente, muito bem jogado da nossa parte.

Elogiável o empenho dos atletas do FCP que, souberam ultrapassar todos os obstáculos que o jogo apresentou, dando um passo decisivo para ganhar o grupo e prosseguir para a fase das eliminatórias.

Muito bem Villas Boas e toda a equipa técnica.

Vamos continuar a crescer, não há dúvida.

Um abraço e boa noite.

ultrafcporto disse...

Caros Portistas todos os árbitros nos roubam escandaloso e não são só os Portugueses, contra tudo e contra todos. Que bom jogo do nosso FCP uma boa resistência á pressão imposta por o Besiktas, e a equipa a saber unir-se quando mais precisava, claro que nem tudo foi perfeito, mas verdade se diga mediante ás circunstancias melhor não se pode exigir.
Cumprimentos,
ultrasfcporto

Dragaopentacampeao disse...

Vitória importante frente a um adversário aguerrido e por vezes excessivamente agressivo.

O ambiente infernal que os turcos sabem proporcionar, funcionou em pleno em termos de pressão... para a equipa de arbitragem que estava «borrada» de medo.

Só assim se explica a dualidade de critérios e a cegueira. Um golo mal invalidado e um penalty não assinalado sobre Falcao, foram «apenas» duas das muitas bacoradas da arbitragem caseira.

Nas expulsões esteve bem. Fernando já com amarelo, forçou a sua expulsão ao agarrar, inadvertida e incompreensivelmente, a bola.

Vitória da classe e da inteligência.

Helton e Hulk sobressaíram num conjunto de boas exibições.

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Sair do Estádio Inonu aplaudidos de pé pelos fervorosos adeptos do Besiktas, diz tudo acerca da nossa fantástica exibição.

Foi uma arbitragem vergonhosa, que nos prejudicou, e que só a nossa brilhante exibição, e capacidade de controlo emocional de uma equipa do FC Porto, cada vez mais madura e consistente, nos permitiu levar de vencida este difícil adversário.

Os turcos entraram pressionantes na partida, mas Helton foi um muralha e transmitiu a tranquilidade necessária para segurar o ímpeto turco.

Moutinho e Fernando estiveram brilhantes no nosso meio campo. Controlamos o jogo, e na segunda parte dominamo-lo mesmo com um homem a menos.

Falcao com o seu faro goleador apontou um excelente golo de cabeça na sequência de um canto. Sofreu um penalti e viu-lhe anulado um golo.

Com a expulsão de Maicon, as coisas poderiam ter-se complicado, mas o nosso meio campo conseguiu segurar os turcos, e com um Hulk poderoso na frente de ataque, conseguimos chegar aos 3 a 0 com uma classe só ao alcance de grandes equipas europeias.

Este FC Porto é claramente uma equipa de topo do futebol europeu e deveria estar a lutar na Liga dos Campeões. Tem sido vergonhosa e lastimável a imagem que Benfica e Braga tem passado do nosso futebol.

Espero nunca mais ver este árbitro espanhol a apitar nas competições europeias. Passaram em claro pisadelas, puxões, um penalti, um golo mal anulado...enfim foi deplorável esta arbitragem.

Na minha opinião, apesar de Hulk ter apontado 2 golos e de Moutinho e Fernando terem sido enormes, Helton foi o melhor em campo.
No início do jogo transmitiu uma segurança à equipa que só está ao alcance dos grandes guarda-redes. Saiu da baliza para evitar o golo de Nihat logo nos minutos iniciais, e ao longo da partida, transmitiu confiança e segurança aos seus companheiros de sector.

Grande noite europeia do FC Porto, da qual todos nós nos podemos orgulhar. Fomos bravos, valentes e inteligentes. Contra tudo e contra os jogadores venceram esta difícil batalha, e saíram justamente debaixo de uma grande ovação do Inonu de Istambul.

Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com

Dragaopentacampeao disse...

Jogo bonito, prático, eficaz, estético e de grande expressão colectiva.

Um regalo para os olhos e um orgulho para adicionar à paixão clubista.

Que seja para continuar.

Nesta bela exibição, houve ainda alguns (poucos) que não conseguiram o brilhantismo dos colegas.

Quero no entanto realçar a melhoria de Rúben Micael, demonstrando que na sua melhor forma será titular de pedra e cal.

Moutinho, Falcao e Hulk, os grandes expoentes desta equipa.

Gostei!

Um abraço

dragao vila pouca disse...

Eu gostei...muito!

E gostei muito, porque o F.C.Porto teve hoje, tudo aquilo que se pede a uma grande equipa: pressão alta, sufocante, que não deixou o Leiria respirar; domínio total do jogo; futebol bonito, alicerçado num colectivo forte, que, tal como disse Villas-Boas, potencia o talento individual; jogadas a toda a largura do rectângulo de jogo, num tic tac que galvaniza a plateia; e tudo isto, tirando um pequeno adormecimento, natural, durante um pouquinho da segunda-parte, depois de uma viagem longa e um jogo desgastante na Turquia.

Pressão, por jogar depois dos principais rivais terem conquistado os três pontos? Nenhuma! Esta equipa está fortíssima, confiante, joga como respira, motiva, mobiliza, deixa os adeptos satisfeitos e com vontade de regressar.

Como dizia um amigo meu, no final do jogo, "assim, vai ser muito difícil perdermos". E nem quando lhe lembrei a facilidade com que o árbitro tinha marcado um penalty contra o F.C.Porto e ignorado outro a nosso favor, ele vacilou: "ganhamos até contra o árbitro!"

Foram cinco e ninguém pode dizer que é um resultado exagerado, antes pelo contrário, tivemos várias oportunidades, claras, para marcar, pelo menos, mais outros tantos golos, enquanto Helton, na primeira-parte não fez uma defesa e na segunda, tendo mais algum trabalho, não foi muito posto à prova.

Quando jogamos assim, quando a exibição atinge esta qualidade, não faço referências individuais, mesmo correndo o risco de estar a ser injusto, com quatro ou cinco jogadores, que foram brilhantes. Vocês, como dizia o outro, sabem de quem estou a falar, não sabem?

Cumprimentos