Mais uma vitória e espectáculo no Dragão


Brilhante é, mais uma vez, a palavra adequada à exibição de ontem à noite, desta feita frente à União de Leiria.
Cinco golos no Dragão contra apenas um sofrido, de grande penalidade.
Falcao e Hulk bisaram, Varela completou. 
Jogadas bonitas e eficazes, combinações e mais combinações, tudo correu bem à equipa azul e branca, que voltou a conquistar três pontos, mantendo a diferença de sete pontos para o segundo classificado.
Na próxima jornada segue-se a Académica, e depois a recepção ao Besiktas.

Hulk recebeu o prémio de melhor jogador do mês e Falcao foi eleito o melhor em campo.

4 comentários:

Tiago Araújo disse...

Mais uma vitória espectacular.

abraço

http://campeoesfcporto.blogspt.com/

dragao vila pouca disse...

Vejo futebol há mais de 40 anos e nunca vi um jogo ser disputado nas condições em que foi disputado o Académica/F.C.Porto. Ou melhor, vi um, mas foi interrompido ao intervalo, o F.C.Porto/Anderlecht no ano de 1978. Que o futebol é um jogo de Inverno, é verdade, mas tem de ser disputado num terreno de jogo em condições mínimas. E hoje, no Municipal de Coimbra, o campo estava impraticável, sem as mínimas condições, parecia uma piscina, que a cada lance colocava em perigo a integridade física dos jogadores. Saiu a lotaria à equipa portista, é verdade, mas também é verdade que o estado do terreno prejudicou mais o conjunto de André Villas-Boas, mais tecnicista, com um futebol mais apoiado, mais trabalhado e que atacava mais na procura da vitória. Somos uma boa equipa de futebol, mas e hoje ficou claramente demonstrado, não somos uma boa equipa de Pólo Aquático.


Ganhamos, era o mais importante, porque é ganhando estes jogos que se ganham campeonatos, mas mesmo tendo ganho, não posso deixar de colocar algumas perguntas: porque se realizou o jogo naquelas condições? Porque deixou Duarte Gomes que o jogo se efectuasse, com o campo num estado que não permitia que a bola rolasse, propício a choques, que poderiam resultar em lesões graves? Não terá Fernando sido vítima, das circunstâncias em que se realizou o encontro? O que esperava o juíz de Lisboa, ao permitir que o jogo se realizasse? Tenho uma teoria, mas o futebol precisa de tranquilidade, de paz e por isso não digo, o que me apetecia dizer, sobre as razões que levaram o moranguito sem açucar, a não adiar o jogo.


Como entendo que o jogo não se devia ter realizado, não vou falar de mais nada, nem sequer da monstruosa exibição de Belluschi, nem do belíssimo golo de Varela que valeu os 3 pontos, mas não posso deixar de dizer e para terminar, que bicada de bicho não faz mossa.

Gaspar, é assim que se cria um blog. Posts feitos a partir da tua cabeça e não cópias grosseiras de outros blogs, em que não copiam apenas os posts, mas também os comentários.

Um abraço

P. Ungaro disse...

Boa tarde,

Antes de maisacho que o jogo não se devia ter realizado. Foi provavelmento dos piores jogos que ja vi. Provavelmente o arbitro achou que talvez fosse uma forma de nos limitar. Para alem do golo anulado e por ai fora.
Do jogo em si extraio mais uma vez a vontade de ganhar a raça e a entrega de todos, porque jogo jogado não houve.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Dragaopentacampeao disse...

O FC Porto demonstrou toda a sua força e classe, mesmo em condições adversas para a prática do futebol.

Este jogo trouxe-me à lembrança a fantástica epopeia de Tóquio, em Dezembro de 1987. A final da Intercontinental disputada sob um manto de neve!.

Pois bem, na neve, na água ou num belo relvado, os Dragões mostram a sua raça.

Vitória mais que justa e até escassa face às oportunidades desperdiçadas.

O meu destaque vai para o enorme espírito de sacrifício, de entreajuda e do querer vencer, que todos os jogadores portistas evidenciaram, demonstrando fibra de campeões.

Um abraço