A duas vitórias do bi-campeonato

Foi com uma exibição à Dragão que garantimos os três pontos frente ao Beira-Mar e nos colocámos a apenas cinco pontos de revalidarmos o título conquistado na época passada.

Não sei como foram os primeiros dezoito segundos de jogo (graças à excelente equipa da estação televisiva que ocupa a quarta posição na grelha de canais nacionais e cujo nome não pretendo publicitar neste espaço), mas o que se seguiu foi um jogo completamente dominado pelo Futebol Clube do Porto.

Hulk foi a principal figura do jogo, com dois golos apontados e uma assistência - que resultou no golo de Marc Janko -, numa noite em que, durante o minuto trinta, se pode assistir a uma bela homenagem aos trinta anos de presidência de Pinto da Costa.

Feitas as contas, faltam três jogos para o campeonato acabar e, dos nove pontos possíveis, precisamos de apenas cinco para sermos campeões sem depender de outros resultados.

Basta um sopro... de campeão!

3 comentários:

dragao vila pouca disse...

Não gostei da primeira-parte, gostei muito da segunda. Na primeira fomos lentos, previsíveis, trapalhões, erramos muito, defendemos mal, se é verdade que podíamos ter marcado mais um golo, também é verdade que o Beira-mar teve várias hipóteses de marcar.

Na segunda-parte tudo foi diferente, em particular depois do segundo e terceiro golo, que aconteceram quase de rajada. Com a vantagem de três golos e a vitória praticamente garantida, a equipa portista tranquilizou, ganhou confiança e a partir daí a qualidade subiu substancialmente, partimos para uma meia-hora final de muito bom nível. Vimos um Porto a ter bola e trocá-la bem, um Porto dominador, capaz de construir jogadas de belo efeito, de criar várias situações de golo, golo que só não voltou a acontecer por questões de pormenor, por algumas más opções na hora de finalizar. Para além disso, nunca o Beira-Mar voltou a ser perigoso, nunca mais, ao contrário do que tinha acontecido na primeira-parte, a equipa de Aveiro incomodou Helton.

Resumindo, vitória justa e inequívoca do F.C.Porto, num jogo com duas partes distintas na exibição do Campeão: má a primeira, muito boa a segunda. O resultado, talvez a mesma diferença, com mais um golo do F.C.Porto e o ponto de honra que o Beira-Mar merecia.
Gostei muito de Alex Sandro que só precisa de jogar para ganhar ritmo, confiança, já que talento tem de sobra. Se tudo correr normalmente, isto é, não houver lesões que impeçam a evolução natural dos jogadores, não correrei muitos riscos se disser que podem estar nas laterais da defesa do F.C.Porto, os dois titulares da selecção brasileira em 2014.
Hulk, com dois golos e uma assistências, foi o melhor, mas momentos houve que parecia apostado em nos irritar.

Nota final:
Estamos em primeiro lugar e com grandes possibilidades para conseguir o título, era o penúltima jogo em casa, mas apenas 33.412 espectadores estiveram esta noite no Dragão. De facto, o portismo de sofá e net, tem ideias para tudo, sabe tudo, é bom a criticar o treinador, a SAD, os jogadores, tudo e mais alguma coisa, mas ir ao estádio... Estava frio e a ameaçar chuva, dava o Barça/Real na televisão...

Magnificas homenagens ao criador dos Dragões, tanto do Colectivo como dos Super-Dragões, com a figura de Jorge Nuno Pinto da Costa a ter o merecido destaque.

Com os golos que marcou esta noite, Givanildo Vieira de Souza, o "Incrível Hulk", tornou-se a máximo goleador do Estádio do Dragão.

Abraço

r.m.silva da costa disse...

Pois, falta de facto apenas um bocadinho assim, como no anúncio. Porém, como nos tempos que vivemos nunca sabemos o que nos espera, bom será que, antes de arrumarmos o carro na garagem verifiquemos se estará lá dentro algum bandido à nossa espera...

Mas, vai correr tudo bem.

Abraço.

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Foi uma excelente vitória, com uma primeira parte de alguma ansiedade, mas com uma segunda metade empenhada, com a garra necessária de quem quer ser bi-campeão.

Excelente o apoio do público no Dragão mesmo sendo o jogo numa noite fria e a uma hora já tardia.

Abraço e boa semana

Paulo