Marcar é suficiente?

Com a época prestes a começar (realizámos hoje o primeiro jogo[-treino], frente ao Tourizense, ujo resultado ainda procuro descobrir) pergunto-me se marcar será suficiente. Admito que sou adepto de muitos golos e nem me importo de sofrer golos, desde que marquemos (no mínimo) mais um! Teremos de ter uma boa defesa para evitarmos ao máximo sofre golos e conto com isso. Considero o Bruno Alves uma peça fundamental no nosso sector defensivo, mas estou cada vez mais convencido de que vai abandonar o Dragão ainda esta época.
E em época de pensamentos penso também no nosso mais recente reforço, João Moutinho, considerado por alguns como "uma maçã podre que não podia continuar no pomar" mas que eu considero como um talismã. Espero que venha fazer a diferença, e que substitua um pouco Lucho Gonzalez porque sim, desde que o argentino saiu, noto diferenças no nosso meio-campo. Ainda em maré de pensamentos, a minha primeira reacção foi de espanto, pois inúmeras pessoas sportinguistas que conheço, que adoravam o João M., o criticaram arduamente. Não percebi mas depois pus-me a pensar como teria sido se vendêssemos o nosso capitão para o rival. É um cenário que não em agrada, e espero que a ninguém da direcção.
Tenho vontade de ver o Futebol Clube do Porto jogar, de ver a minha equipa marcar muitos golos e de saltar cada vez que a bola entra na baliza adversária. E, ao ver vídeos como este, a vontade aumenta ainda mais..

Acabo de me actualizar e vencemos por 4-1, com golos de Castro, James Rodríguez, Falcao e ainda Hulk, por grande penalidade. O Tourizense obteve o golo graças a Hugo.

1 comentários:

R.M.Silva da Costa disse...

Marcar mais um golo do que o adversário é um princípio primordial para qualquer equipa e fundamental numa competição onde o que conta é o somatório de pontos jornada a jornada.
Já estive mais certo da saída do B. Alves e, o Raúl (o Raulnaldo da nossa selecção) Meireles já há muito tempo que deve ter casa algures.
Bem, o sucesso do João Moutinho no Dragão é uma angústia que muitos vão ter que suportar.Será, eles sentem-no, uma espinha cravada na garganta cujo incómodo os vai infernizar até ao fim da época.
Treino é treino, mas se os golos são anotados...e logo quatro, tudo bem.