"Acorda André, está na hora de ires para a escola..."

          Tudo parece um sonho. Será que o próprio André Villas Boas pensa, por vezes, que está a viver um sonho? Será que o nosso treinador acorda a pensar que tudo não passou de um sonho, e que tem de ir para a escola? Eu, enquanto adepto, pensei nisso hoje de manhã, ao acordar. Felizmente era mesmo verdade. Tinha mesmo visto o Futebol Clube do Porto ganhar a segunda Taça UEFA/Liga Europa.

          Depois de no início da época Pinto da Costa ter apresentado André Villas Boas como o nosso treinador - um jovem de apenas 33 anos com pouca experiência enquanto treinador principal mas muita, muita!, enquanto membro da Staff de José Mourinho - não sei se algum de nós, portistas, pensava que tudo isto seria possível. Sem querer menosprezar André Villas Boas (pelo contrário, só o idolatro!), nunca me passou pela cabeça que, dentro de poucos meses, festejaria um campeonato, uma passagem à final da Taça de Portugal e uma Liga Europa. Foi uma longa caminhada, com excelentes resultados, e o jogo de ontem foi o culminar de uma excelente temporada; não é todos os anos que se conquista uma competição europeia mas hoje, amanhã e nos próximos meses poderemos festejar efusivamente este título.

          Esperava-se um jogo muito difícil e, apesar do nosso favoritismo, o Braga podia surpreender, como o próprio André Villas Boas fez transmitir. Gostaria desde já de deixar a minha palavra de apreço à equipa bracarense, que realizou uma magnífica temporada. Falcao foi, para mim, o homem do jogo. Salvo raras excepções, o jogador que marca o único golo de uma final tem de ser o homem do jogo, e assim foi, sem esquecer - claro está - o bom jogo realizado pelo resto da equipa. 
          Após pensar duas vezes, cheguei à conclusão de que o golo do jovem colombiano foi o segundo mais festejado da ainda minha curta carreira. O primeiro, este, nunca esquecerei, mas o de ontem também ficará - certamente - na minha memória.

          Resta-nos a final da Taça de Portugal no Domingo e em caso de vitória será a conclusão de época em grande, com um total de quatro títulos!

Não, não é um sonho. É uma grande equipa, uma grande época!

4 comentários:

penta1975 disse...

somos mesmo grandes, enormes! ;)

estou super feliz! e o melhor é que esta época ainda não terminou!! ;)

«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

Miguel | Tomo I

dragao vila pouca disse...

Umas, poucas, palavras sobre o jogo:
Concordo que foi fraco e a exibição do F.C.Porto deixou a desejar. Fomos lentos, complicativos, fugimos ao nosso futebol natural, trocamos o conjunto pelo individualismo e quando é assim, não somos tão fortes. A jogada de James, já em tempo de descontos, quando em superioridade numérica, tinha Hulk e Falcao, sozinhos para passar e quis fazer tudo, foi paradigmática do que foi hoje o jogo do CAMPEÃO NACIONAL 2010/2011. Mas as finais são para ganhar e se nos lembrarmos do que aconteceu em 1984, em Basileia, frente à Juventus, onde fomos muito melhores e perdemos, passemos por cima da qualidade da nossa exibição e festejemos, festejemos muito, que, meus amigos, ninguém mais do que nós merece festejar.

Um abraço

Armando Pinto disse...

Ganhamos!
Grande alegria. Durante o jogo, como quem anda a par sabe, tive de ir tentando dar uma olhadela no resultado, muito de fugida e... curiosamente cliquei na transmissão na ocasião do golo... Depois foi tentar aguentar até ao fim, na mesma, e cá dentro estourar como foguetes que se ouviram em vários lados.
Passadas já estas horas, voltando-se já as atenções para a final da Taça de domingo, entretanto o que dá mais gozo é ver a azia de benfiquistas e, pasme-se, de sportinguistas, que até se desculpam com as esfarrapadas queixinhas do Domingos - esquecendo-se eles de pelo menos um, mas até dois, dos bracarenses que mereciam não ter acabado o jogo...
O Porto é o Maior!
Um reparo tem de ser feito, a quem anda a tentar arranjar motivos para diminuir a grande vitória do Norte: alguma comunicação social está a criticar por entre os futebolistas presentes, os estrangeiros terem usado as bandeiras dos seus países, enquanto os portugueses não… Ora, no caso dos do F. C. Porto, apetece dizer que o país tem tratado tão mal o clube e os seus representantes que não se pode pedir que se esqueça isso, sendo que os símbolos nacionais são mais para coisas do regime. Pode ser forte, isto dito assim, mas é a realidade. E quem não concordar que faça alguma coisa para alterar o panorama, visto haver diferenciação, facciosismo e separatismo entre Lisboa e arredores relativamente ao resto do País, a começar nos políticos e nos dirigentes desportivos.

http://longara.blogspot.com/2011/05/porto-d-honra-europeu.html

David J. Pereira disse...

Gosto deste blogue!

Podes adicionar o meu aos links sff?

http://davidjosepereira.blogspot.com/